Reunião 16/06

Kamila Almeida

Na reunião do dia 18/06, recebemos a doutoranda em Ciências Sociais da PUCRS Kamila Almeida para um debate sobre a entrevista como técnica de pesquisa. A colega apresentou sua experiência no mestrado com a entrevista narrativa, desenvolvida pela professora alemã Gabriele Rosenthal. Foi um encontro bastante produtivo, no qual tivemos a oportunidade de compreender um pouco mais sobre essa técnica, tão comum em nossos trabalhos, desta vez em uma perspectiva interdisciplinar. Mais uma vez agradecemos à Kamila pela presença e partilha.

Os slides da apresentação podem ser acessados aqui: Entrevista biográfica

Reunião 02/06

Na última terça-feira, dia 2 de junho, compartilhei com os colegas do Geisc o tema da minha dissertação: O Jornalismo Cultural na Pós-Modernidade. O trabalho, que tem a orientação do professor Juremir Machado da Silva, está em fase de elaboração e será defendido até o final deste ano (2015).

Em um primeiro momento, apresentei aos pesquisadores a justificativa pela escolha do tema, o problema de pesquisa, os objetivos do trabalho e um breve sumário. O jornalismo cultural sempre deteve a minha atenção por unir duas paixões: a arte e o jornalismo. A primeira é essencial porque tem a capacidade de interpretar e ler a realidade, de despertar nos indivíduos sensibilidade, e de comunicar; o segundo porque desempenha papel fundamental na sociedade, quando narra o vivido, informa e dialoga buscando a construção de um espaço mais qualitativo para todos. O jornalismo cultural, portanto, tem a capacidade de refletir sobre a arte produzida – a realidade de um período; e de criar uma conexão entre o produtor da obra e o consumidor, instigando a reflexão e o pensamento crítico.

Ao explorar a atual configuração do jornalismo cultural na pós-modernidade, objetiva-se elucidar os diversos meios de comunicação que reservam espaço para o segmento, além de compreender como ele se apresenta no tempo presente, em um momento caracterizado pela instantaneidade e individualidade. Para isso, serão utilizados os estudos de autores como Daniel Piza, Marialva Barbosa, Cremilda Medina, Arthur Dapieve, Cida Golin, Jorge Rivera, entre outros (para o jornalismo cultural); e Zygmunt Bauman, Gilles Lipovetsky, Fredric Jameson, Guy Debord, Jean-Françóis Lyotard e Michel Maffesoli (para a pós-modernidade). Ademais, será feita a análise de conteúdo (com base em Laurence Bardin) do caderno de cultura da Folha de SP, da Revista Cult, e do site Digestivo Cultural.

Em um segundo momento, discutimos a respeito do jornalismo cultural brasileiro, do que pode ser considerado arte hoje em dia (e das suas diversas nuances) e da metodologia da pesquisa. Sem dúvidas o espaço de reflexão que o grupo proporcionou foi extremamente qualitativo para o meu trabalho e despertou novas ideias e questões.

Por Micaela Rossetti.