Integrantes do Geisc apresentam trabalhos no Encontro da Alcar

Quatro integrantes do Grupo de Estudos do Imaginário, Sociedade e Cultura (Geisc) apresentam trabalhos no XI Encontro Nacional de História da Mídia (Alcar), que será realizado esta semana, entre os dias 8 e 10 de junho, na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo (SP).

Para se prepararem para o evento, as integrantes Bárbara Avrella, Cândida Schaedler e Ivana Gehlen ensaiaram suas apresentações, na última reunião do grupo, terça-feira (6). Os demais sugeriram alterações e fizeram perguntas.

Confira os trabalhos do Geisc a serem apresentados:

GT HISTÓRIA DA MÍDIA IMPRESSA

OS CAMINHOS DO JORNALISMO CULTURAL E OS SUPLEMENTOS LITERÁRIOS
Larissa Bortoluzzi Rigo (PUCRS)
Ivana de Jesus Gehlen (PUCRS)
Dia 9 de junho, 14h às 18h, sala 83 – sessão 1

RESUMO: Este artigo se propôs a percorrer a história do jornalismo cultural, promovendo uma revisão sócio-histórica em âmbitos mundial e nacional, para identificar os pontos de contato entre o jornalismo e a literatura por meio de pesquisa bibliográfica. Identificamos através da história, o percurso delineado pelo jornalismo cultural até chegar aos chamados suplementos literários ou cadernos de cultura, como atualmente são chamados no Brasil. Foi possível perceber a influência da literatura que em muitos momentos estabeleceu uma forte relação de proximidade com a produção jornalística noticiosa. Para subsidiar essa reflexão, ancoramo-nos em análises sócio-históricas realizadas por Sodré (1999); Piza (2004); Marcondes Filho (2012); Lima (2013); Bahia (1972); Romancini e Lago (2007), dentre outros.

VALORES-NOTÍCIA NA IMPRENSA DO INTERIOR DO RIO GRANDE DO SUL NO INÍCIO DO SÉCULO XX: ESTUDO PRELIMINAR DA GAZETA DE ALEGRETE
Cândida Schaedler (PUCRS)
Dia 9 de junho, 14h às 18h, sala 83 – sessão 2

RESUMO: Embora os valores-notícia não estivessem categorizados no início do século XX, sua influência já era evidente na imprensa do interior do Rio Grande do Sul. Com o intuito de pesquisar a história das práticas jornalísticas interioranas, este artigo estuda quais valores-notícia predominavam e de que forma apareciam na Gazeta de Alegrete, de Alegrete, na Região da Campanha. Para tanto, conduzimos uma análise de conteúdo em exemplares dos anos de 1905 e de 1908, para mostrar uma aplicação preliminar do que será, posteriormente, uma dissertação de mestrado. Os resultados apontam para a predominância dos valores-notícia de proximidade e de notoriedade.

PAULO EVARISTO ARNS: A MORTE DO CARDEAL DA RESISTÊNCIA NO EDITORIAL DA FOLHA DE S. PAULO
Luana Müller (PUCRS)
Dia 9 de junho, 14h às 18h, sala 83 – sessão 1

RESUMO: Falecido em 14 de dezembro de 2016, o Arcebispo Emérito de São Paulo Dom Paulo Evaristo Arns, símbolo de luta pela defesa dos direitos humanos, é uma personalidade que, fazendo referência a Getúlio Vargas, nem precisou sair da vida, para entrar na história. Por seu papel histórico em diversos momentos, principalmente durante a ditadura militar, sua morte causou comoção e homenagens na mídia brasileira. O presente artigo propõe uma Análise de Conteúdo (AC) do editorial “Paulo Evaristo Arns”, publicado na Folha de S. Paulo, no dia posterior ao falecimento do cardeal. Por meio da AC, a pesquisa visa ir além das palavras escritas, ao desvelar o encoberto da narrativa. Para isso, a análise se apoia também em outros textos do veículo, historicamente ligados ao conteúdo mencionado pelo editorial.

GT HISTÓRIA DA MÍDIA SONORA

O RÁDIO EM AMPLITUDE MODULADA: TRAJETÓRIA E POSSIBILIDADES
Bárbara Avrella (PUCRS)
Dia 10 de junho, 8h às 12h – sessão 2: Radiojornalismo, Migrações e História

RESUMO: Este trabalho aborda a trajetória do rádio em ondas médias (OM), popularmente chamado de amplitude modulada (AM). Utiliza-se como apoio teórico estudos históricos e também da atualidade relativos ao veículo radiofônico e especialmente às rádios em AM. Também, destacam-se as adaptações pelas quais as emissoras em ondas médias passaram com a chegada da frequência modulada (FM), dedicando-se especialmente ao jornalismo; a inserção do rádio na internet e, agora, a migração para o FM. Pode-se perceber que as estações em amplitude modulada passaram por diversas transformações técnicas e de programação durante sua existência. Hoje, com a justificativa de tornar as rádios que operam em AM mais competitivas, o Governo brasileiro publicou um decreto a respeito da migração para as faixas em FM. Este é um estudo estritamente teórico, de abordagem qualitativa, em que se utiliza como procedimento metodológico a pesquisa bibliográfica.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s