Imprensa e ruptura institucional

No último encontro do GEISC, em 1º de novembro de 2016, a doutoranda Camila Garcia Kieling apresentou sua pesquisa de doutorado, intitulada “Imprensa e ruptura institucional: acontecimento e imaginário nas narrativas sobre o golpe civil-militar de 1964 no Brasil e a revolução de 25 de abril de 1974 em Portugal em uma perspectiva comparada”. Foram discutidas questões teóricas e metodológicas, em especial os modos de articular a análise da narrativa de forma comparada, um dos desafios da pesquisa. Camila apresentou alguns aspectos da análise que apontam, de acordo com o método trabalhado, para as placas de encadeamento que possibilitam essa comparação, como: as metanarrativas (democracia, legalidade, legitimidade, autoritarismo, comunismo, subversão); a composição dos personagens; a estabilização da realidade através do discurso jornalístico; “o olhar de dentro e a vista de fora” (questão da repercussão internacional e a forma como cada país olha para o outro). Como não poderia deixar de ser, o grupo debateu algumas semelhanças e diferenças entre esses processos e o atual cenário político brasileiro.

jornal_republica_portugal

O jornal português República noticia o golpe civil-militar de 1964 no Brasil.

Anúncios